De: Pulido Valente - "Demolição?"

Caro TAF

Tenho evitado intervir nestas carpideirices por as considerar inconsequentes e, dada a degradação da Baixa, sem utilidade, no entanto há que dizer o seguinte.

A lengalenga do fado choradinho do custo da demolição é um bestial atentado à inteligência, memória e cultura dos cidadãos. Na verdade qualquer galinheiro ou pombal que um pobre tenha construído sem licença, COMO É O CASO, se não for demolido voluntariamente pelo infractor é demolido pela cmp que vai cobrar ao munícipe os gastos e, se calhar, mais alguns emolumentos. Repara que os vereadores do ps dizem que havia licença. Rotunda mentira!

Atirar à cara das pessoas que seria a cmp a gastar estes milhões só apela à parolice portuense, que não sabia ser tão presente, pois que só ela, a parolice, se "escandaliza" com esses valores. Assim desvia-se o importante do assunto que é mascarar a conivência da cmp com a malta, de dinheiro, (que é quem obviamente possui as fracções) quando se diz que os proprietários não têm dinheiro para pagar as taxas, e portanto a demolição. Implicitamente claro. Ora o mesmo não se passa em todos os outros casos em que a cmp demoliu o que achava que tinha de demolir. Fui várias vezes confrontado com brigada da cmp nas obras que, diziam os da câmara, estavam ilegais. E a Sodel nem uma única vez; mesmo quando do embargo da CCRN ou quando o fiscal avisou o presidente (fg), por duas vezes pelo menos, de que a construção não cumpria com o loteamento aprovado que a suportaria.

Portanto Tiago vamos pôr pontos nos iii e chamar aos bois e outras bestas pelo nome. Tá(f) bem?

JPV